“Sempre prefira ser feliz a manter o amor-próprio”: Uma conversa com Charlotte Brontë. Por Camila Nogueira

A autora
A autora

Charlotte Brontë (1816 – 1855) foi uma das maiores escritoras da Época Vitoriana, assim como suas irmãs mais novas – Emily e Anne Brontë. As frases a seguir foram tiradas de seu romance mais famoso, Jane Eyre.

Miss Brontë, a senhorita escreveu um dos maiores livros da literatura inglesa – Jane Eyre – além de ter sido uma grande defensora dos direitos das mulheres. Tem algo a dizer sobre esse assunto?

Em geral, supõe-se que as mulheres devem ser calmas e plácidas, mas elas sentem o mesmo que os homens. Precisam de exercício para suas faculdades mentais e campo para os seus esforços, tanto quanto seus irmãos. Sofrem com restrições muito rígidas e com a estagnação absoluta – tanto quanto os homens sofreriam na mesma situação. É uma estreiteza de mente de seus companheiros mais privilegiados dizer que elas devem ficar limitadas a fazer pudins, tricotar meias, tocar piano e bordar bolsas. É insensatez condená-las, ou rir delas, se procurarem fazer mais ou instruir-se mais do que o costume determinou que é necessário ao seu sexo.

O que devemos estabelecer como nosso objetivo de vida?

O objetivo de vida de uma pessoa deve ser cuidar de si mesma.

Excelente!

Lembre-se que quanto mais solitária, quanto mais sem amigos, quanto mais desamparada estiver, mais deve se respeitar.

Mais algum conselho?

Seja boa com aqueles que são bons com você. Isso é tudo que sempre desejei para mim. Se as pessoas fossem sempre boas e obedientes com aqueles que são cruéis e injustos, os maus teriam tudo a seu modo. Nunca sentiriam medo e assim nunca mudariam, mas se tornariam piores.

Maravilhoso, Miss Brontë! Algo a acrescentar?

Sempre prefira ser feliz a que manter o amor-próprio… A vida me parece curta demais para ser gasta nutrindo animosidades ou recordando erros.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here