Por que o menino mais famoso do Brasil não quer ser famoso

Ele é Nissim Ourfali e sua família está processando o Google por danos morais

 

Nissim Ourfali queria ficar famoso. Pelo menos entre os amigos. Você deve saber: há seis meses, o paulistano de 13 anos gravou um vídeo em que dublava uma versão da música What Makes You Beautiful, da boyband One Direction. Seus pais o colocaram no YouTube e, por um daqueles mistérios insondáveis da web, a coisa tornou-se viral. Mais de 5 milhões de visualizações, fora as paródias. Nissim aparece contando sua “história”, com uma letra meio nonsense e montagens de suas viagens, com os pais, as irmãs, em casa e no focinho de uma baleia (uma, vamos dizer, referência à sua praia preferida, no litoral norte de São Paulo). Enfim, poderia cair na categoria do “tão ruim que é bom”.

Nissim Ourfali ficou famoso. Vídeos desse tipo são comuns na comunidade judaica por ocasião do bar mitzvah, o rito de passagem dos garotos para a idade adulta. É uma data importantíssima para os judeus, que não economizam nas festas. O clipe faz parte do pacote.

A produtora responsável não entendeu nada. A dona, Noemy Lobel, se dizia em choque com a repercussão. Embora eles afirmem que o trabalho é propositadamente tosco, nota-se ali um esforço genuíno em fazer uma coisa legal. Só que não dá certo. Talvez isso explique o êxito.

Na era das celebridades, ele não quis virar uma

Agências de publicidade ganham montanhas de dinheiro prometendo a seus clientes que conhecem a fórmula para transformar um vídeo num fenômeno de audiência. Não existe receita. O primeiro Cala a Boca, Galvão bombou. A sequencia, feita para estourar, não deu em nada. Há inúmeros outros exemplos: o menino que volta do dentista sob o efeito de anestesia e conversa com o pai (mais de 100 milhões no YouTube), Kony 2012, Susan Boyle etc. Gangnam Style, do sul-coreano Psy, teve 400 milhões de views.

Nissim Ourfali não gostou de ser famoso. A família está processando o Google, pedindo uma indenização de 30 mil reais por danos morais, além da retirada das imagens. Um trecho do processo fala em “sérios danos à vida do autor”. Não consta que Nissim tenha sofrido agressões físicas ou verbais. No máximo, alguns comentários maldosos na feira livre do YouTube. Se fosse para ganhar dinheiro, mesmo, eles não estariam pedindo apenas 30 mil ao Google.

Uma coisa, afinal, chama a atenção: numa era em que todo o mundo faz qualquer coisa para aparecer, em que todo o mundo publica as próprias fotos para desconhecidos curtirem, em que todo o mundo sofre por não ter milhões de “amigos” em redes sociais — por que ele não faturou em cima disso? Não foi ao Jô Soares, não deu entrevista, não surfou na celebridade instantânea?

Porque ele não quis. Nissim Ourfali tem mais a fazer do que ser famoso. Ele é apenas um bom garoto.
Deixem Nissim em paz! Ou ele fará outro video.

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here