O que o mundo pensa hoje sobre Obama e os Estados Unidos

Condenados em todo o mundo, excetuados os Estados Unidos

 

O Pew é provavelmente o mais respeitado instituto de pesquisas do mundo.  Baseado em Washington, é apartidário.

Se você quer saber como as pessoas estão enxergando as coisas no plano global, vale a pena acompanhar o Pew.

Seu último trabalho é manchete hoje internacionalmente. Já li repercussões na BBC, na Der Spiegel e no Wahington Post.

Retrata, paradoxalmente, o óbvio: o desgaste mundial da imagem de Obama e dos Estados Unidos. Pesquisadores do Pew em 20 países significativos – o Brasil incluído – constataram o quanto os americanos são objeto de desilusão e reprovação.

No centro da rejeição estão os famosos drones, os aviões sem tripulação com os quais os americanos matam militantes de grupos islâmicos – e também mulheres, crianças e velhos que nada têm a ver com a Guerra ao Terror.

Em todo o mundo, excetuados os Estados Unidos, os drones são condenados. No Brasil, três quartos das pessoas ouvidas se disseram contra. Usados inicialmente por Bush, Obama não apenas continuou a utilizá-los como elevou o número de ataques. Segundo o NY Times, Obama aprova pessoalmente cada uso de drone.

Uma vez que os americanos aprovam, Obama segue adiante, porque é deles que virão os votos que provavelmente o levarão a um segundo mandato.

É uma visão claramente egoísta, e isso se reflete no levantamento do Pew. Na enorme maioria dos países, e mais ainda no Oriente Médio, os Estados Unidos são vistos como uma sociedade que pensa apenas em si própria.

Economicamente, a percepção internacional é que o declínio americano é um fato da vida. No levantamento do Pew, a China foi apontada como a maior referência da economia mundial hoje.

A Casa Branca não comentou a pesquisa. Mas nem era necessário. Os dados falam sozinhos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here