Meus 5 filmes favoritos de James Bond, Skyfall incluído. E os 3 piores

Nosso expert em OO7, Dagomir Marquezi, faz a lista da glória e da miséria bondiana

 

Assisti Skyfall há menos de 24 horas atrás e não tenho dúvida: ele está entre os melhores de todos os 23 filmes “oficiais” de James Bond. Esta é apenas a opinião de quem assistiu todos eles várias vezes. Skyfall é uma grata surpresa, uma visão completamente nova com grandes referências do passado. Aqui vai minha lista pessoal dos melhores e piores de 007:

Os 5 Melhores:

Goldfinger (1964) – Estabeleceu os princípios básicos de todos os filmes que viriam a seguir. Apresenta o primeiro vilão com senso de humor, Auric Goldfinger. E a batalha final no interior de Fort Knox é uma aula de suspense até hoje.

A Serviço Secreto de Sua Majestade (1969) – O único filme do pouco carismático australiano George Lazemby no papel de Bond. Aventura direta e sem enrolação. Muito fiel ao livro de Ian Fleming, é famoso pelos cenários na Suíça. E também por ser o filme onde Bond se casa para enfrentar uma grande tragédia pessoal.

Die Another Day (2002) – Uma celebração de todos os exageros da era Bond. O melhor dos filmes de Pierce Brosnan, onde tudo é grandioso, do palácio de gelo na Islândia à arma high-tech da miserável Coréia do Norte.

Casino Royale (2006) – A explosiva estreia de Daniel Craig, que transformou James Bond em um personagem completamente novo. Trás a grande influencia na série Bourne, que por sua vez se inspirou no próprio 007.

Skyfall (2012) – Uma reflexão sobre o próprio mito, com a busca do seu passado e a ameaça da aposentadoria. Trás ainda um dos maiores vilões de toda a série (Silva, com o divertidíssimo Javier Barden). Daniel Craig despe a capa de poses de 007 e o humaniza como nunca havia sido tentado antes. O filme tem grandes ligações com o passado e uma abordagem nova com o personagem procurando ao mesmo tempo seu passado e um futuro possível.

 

Os 3 piores:

Moonraker, o Foguete da Morte (1979) – A era Roger Moore transformou James Bond num palhaço. E Moonraker foi o pior de todos os filmes essa era. Inclui uma patética passagem pelo Brasil e cenas de comédia barata. Uma triste experiência para os fãs.

Permissão Para Matar (1989) – Timothy Dalton se esforçou mas não conseguiu emplacar como Bond. Fez apenas dois filmes, e o segundo, Licence to Kill, é uma tediosa história de vingança contra um traficante com clima de novelão mexicano.

Quantum of Solace (2008) – Nem Daniel Craig consegue defender seu segundo filme, que enfrentou problemas com uma greve de roteiristas e foi meio improvisado. É populista, demagógico, equivocado e sem charme. E que ainda comete o erro de matar um dos únicos amigos de 007, o espião francês René Mathis (Giancarlo Giannini).


Dagomir Marquezi pode ser encontrado no seu blog neste link: http://dagomir.blogspot.com.br/

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here