Membro do MBL envolvido em atentado disse à polícia que tinha “situação pessoal” com jornalista

Renato Olivera (dir.), com a cúpula do MBL, Holiday, Renan Santos e Kataguiri

Publicado no Taboanense

O subsecretário de Tecnologia e Comunicação de Embu das Artes, Renato Oliveira, foi indiciado pela Polícia Civil, acusado de lesão corporal grave contra o jornalista Binho, do site Verbo Online. Nesta segunda-feira, dia 19, a prefeitura comunicou a exoneração de Renato. O agente penitenciário Lennon Roque também foi indiciado.

O crime aconteceu no dia 28 de dezembro, Binho estava em sua moto na rodovia Régis Bittencourt quando foi jogado por um Hyundai I30 para o acostamento. Segundo o jornalista, que quebrou o tornozelo no atentado, os ocupantes do veículo em seguida pararam o automóvel e atiraram três vezes na sua direção. Ele foi socorrido e passou por uma delicada cirurgia.

Renato Oliveira confessou para a polícia, em depoimento na última sexta-feira, dia 16, que dirigia o carro que bateu na moto de Binho. Imagens de câmeras de segurança mostram que Oliveira e Lennon Roque ficaram duas horas dentro do carro esperando que Binho deixasse um evento, onde fazia a cobertura fotográfica, na praça de Embu das Artes.

De acordo com Renato Oliveira, ele e Binho possuem “problemas pessoais” que não têm relação com sua atuação política. “Queria esclarecer com ele uma situação pessoal, não falei com ele na praça porque tinha muita gente lá, não queria expor o assunto para outras pessoas, por isso esperei ele ir embora”.

Binho é colaborador do site verbo Online, veículo que vem mantendo uma postura crítica em relação ao governo do prefeito Ney Santos. As charges de Binho viralizaram na região, causando desconforto em parte do grupo que apoia o prefeito. Binho já havia sido vítima de uma campanha que o tentou desmoralizar sua credibilidade, sendo chamado de “petista”, buscando politizar o trabalho do jornalista.

Segundo Oliveira, Binho estava na Régis Bittencourt, sentido Taboão da Serra, quando emparelhou o carro e abiu o vidro, pedindo que Binho parasse para que eles pudessem conversar. “Desde Embu fui buzinando, dando farol para ele parar. Quando fiquei do lado dele, ele cambaleou, passou o guidão da moto na lateral e caiu. Não estava com maldade nenhuma dele. Eu não ia usar o carro do meu amigo”, disse ao Portal O Taboanense.

Questionado sobre não ter socorrido o jornalista após o suposto acidente, Renato afirmou: “quando parei para socorrer ele estava de pé, resolvi ir embora”. Binho quebrou o tornozelo no acidente e não conseguia andar. Ele foi socorrido por funcionários da Eletropaulo que passavam pelo local.

Oliveira também nega que tenham sido dados três tiros em direção a Binho. “Essa conversa, tudo isso, é novela dele. Estou respondendo por lesão corporal, o inquérito vai mostrar a verdade”.

Exonerado

Durante a entrevista, Renato disse que iria sair da prefeitura. “Toda essa situação é complicada. Eu vou sair da prefeitura, estou pedido para sair para que essa questão pessoal minha não atrapalhe o governo”.

Duas horas depois da entrevista, a prefeitura de Embu das Artes emitiu uma nota oficial dizendo que Oliveira havia sido exonerado. “A Prefeitura de Embu das Artes esclarece que teve acesso hoje ao inquérito policial que envolve o secretário adjunto de Gestão Tecnológica e Comunicação, Renato Oliveira, em lesão corporal grave contra Gabriel Barbosa da Silva, após desentendimento pessoal entre ambos, conforme relatado no inquérito”.

Ainda segundo o comunicado: “A Prefeitura de Embu das Artes lamenta o ocorrido e devido à repercussão na mídia como sendo um possível atentado contra a liberdade de imprensa, mesmo não constando no inquérito, e em respeito a todos os representantes da imprensa e reiterando seu apreço aos profissionais da categoria, exonerou nesta data o secretário adjunto de seu cargo até o encerramento do processo judicial”.

Ney evita imprensa

O prefeito Ney Santos evitou conversar com a imprensa após a sessão solene em comemoração aos 59 anos de Embu das Artes, que ocorreu na Câmara Municipal no domingo, dia 18.

Ao final do evento, Ney Santos saiu pela porta lateral do plenário e não realizou a coletiva que se já tornou praxe com a imprensa regional.

Entenda o caso

O repórter, fotógrafo e chargista Gabriel Binho, colaborador do site Verbo Online, sofreu um claro atentado na madrugada do dia 28 de dezembro ao ser atingido por um carro enquanto pilotava sua moto na rodovia Régis Bittencourt. Após cair em uma vala, o motorista do carro ainda disparou três vezes em direção ao jornalista. Ele sofreu fratura no tornozelo e precisou passar por uma delicada cirurgia.

Segundo relatos do próprio jornalista, após deixar o centro de Embu, onde tinha feito vídeo de artistas de rua, Binho seguia pela Régis sentido São Paulo por volta das 2h da manhã quando um carro i30 prata se aproximou e tentou jogar o profissional de imprensa para fora da estrada. Binho acelerou, mas teve a moto atingida na lateral pelo veículo e caiu na pista, a poucos metros da entrada de acesso à Câmara, na altura do km 279 da BR-116. Com o impacto, a moto foi jogada para barranco no acostamento.

Binho se levantou, mas o carro deu a volta pela via lateral à rodovia, a rua Marcelino Pinto Teixeira, e do interior do veículo partiram três tiros na direção dele. Ele se jogou em uma vala ao lado da pista para se proteger dos disparos e não foi atingido. Binho tentou sair o mais rápido possível do local, mas um tornozelo estava quebrado e a moto não ligava. O criminoso fugiu em direção ao Jardim Magali. Funcionários da Eletropaulo apareceram e socorreram Binho.

Com a Polícia Militar já no local, Binho, também com escoriações no joelho, cotovelo e mãos, foi levado pelo Corpo de Bombeiros ao Pronto-Socorro Central de Embu, de onde foi transferido para o Hospital Geral do Pirajuçara. No HGP, foi submetido a cirurgia no tornozelo no domingo (31) e passou a virada do ano internado.

“Com toda certeza, foi um atentado”, afirmou Binho, 32, ao Verbo Online. Poucas horas após a tentativa de assassinato que sofreu, ele recebeu uma mensagem com ameaça, recheada de gíria de bandido. “Samuel Salve Geral us [os] proximu tiro vai se no meio da cara pra aprende a para de ser faladô recado tá dado o outro q vai ser arrepiado e o otavio silva sem massagem Agora mesmoCurtirResponderMais”, diz o texto, ao se referir também a Otávio Silva, liderança do PDT.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here