Greenpeace: o relatório sobre o aquecimento global pode sinalizar um futuro melhor se agirmos agora

aquecimentoglobal

 

POR STEPHANIE TUNMORE, ativista do Greenpeace

Trinta tripulantes do navio do Greenpeace Arctic Sunrise estão presos na Rússia porque protestaram de forma pacífica contra a exploração de petróleo no Ártico, com a intenção de mudar o futuro sombrio que estamos construindo para nós mesmos e para o planeta por causa da nossa dependência de combustíveis fósseis. Na sexta (27), a maior autoridade do mundo sobre a ciência da mudança climática divulgou um relatório que mostra que as preocupações dos ativistas do Greenpeace estão completamente justificadas.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) avaliou toda a ciência do clima e encontrou sinais preocupantes de impactos de aceleração, especialmente nas regiões polares:

Na última década (2002-2011) a camada de gelo da Groenlândia derreteu a uma taxa seis vezes maior, em média, do que na década anterior.

O derretimento da Antártida foi cinco vezes mais rápido.

Desde 1993, os níveis do mar subiram duas vezes mais rápido que no século passado, em média.

A extensão de gelo do mar do Ártico também diminuiu significativamente mais rápido do que o previsto.

Nossa poluição aqueceu a atmosfera e os oceanos, derreteu geleiras, elevou os níveis do mar, mudou os ciclos da água e aumentou alguns eventos climáticos extremos. Além disso, as emissões de dióxido de carbono estão deixando os oceanos mais ácidos a uma taxa sem precedentes, ameaçando a vida marinha. Agora é certo que a maior parte do aquecimento desde 1951 foi causada por atividades humanas.

Mas o IPCC não dá apenas uma má notícia. Eles também analisaram os potenciais caminhos para o futuro. O futuro que eles descrevem, se continuarmos em nosso caminho atual, parece sombrio e hostil. Mas lembre-se, estas são projeções e não profecias. Eles também estabeleceram metas que vão limitar o aquecimento a menos de 2°C e o aquecimento do nível do mar numa escala menor, bem como o derretimento do gelo, a acidificação dos oceanos e eventos climáticos extremos.

Há um futuro melhor do que o que estamos enfrentando atualmente e é nosso, se quisermos.

Devemos aceitar que os combustíveis fósseis terão que ficar no chão e que sugar as últimas gotas restantes de petróleo é um desperdício caro e perigoso do tempo. Isto não será nenhuma surpresa para a indústria de combustíveis fósseis. Empresas de carvão, petróleo e gás, juntamente com a energia pesada de setores como os fabricantes de automóveis, passaram décadas tentando turvar as águas em torno da ciência da mudança climática em vez de encarar a grave ameaça que elas representam. Eles financiaram campanhas publicitárias, campanhas de desinformação e “negadores” da ciência do clima, com a intenção de criar incerteza entre o público e bloquear todos os esforços para regular gases de efeito estufa.

Devemos abraçar e acelerar a transição da energia limpa que já está em andamento. A energia renovável é atualmente a fonte de energia que mais cresce. Globalmente, estima-se que a geração de energia renovável deva subir para 25% da geração de energia bruta em 2018. Mas a maior barreira para essa expansão é a incerteza em torno das políticas de energias renováveis. Esta é uma área em que os governos podem criar fortes sinais para os investidores sobre o futuro.

Nossos ativistas têm mostrado uma enorme coragem e compromisso e envergonhado aqueles governos que continuam a proteger os interesses da indústria de combustíveis fósseis em detrimento de seus cidadãos. Suas ações, suportadas por convicção pessoal e um desejo de proteger o nosso clima em rápida mudança, são um desafio para os governos colocarem as pessoas e o planeta em primeiro lugar.

Publicado originalmente no site Common Dreams

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here