Bolsonaro acha que ser estuprada por ele é algum tipo de prêmio para as mulheres?

"Combatemos a cultura do estupro, todos os dias, pra vir um boçal com essa declaração e incitar ainda mais casos de violência?"
“Combatemos a cultura do estupro, todos os dias, pra vir um boçal com essa declaração e incitar ainda mais casos de violência?”

Gostaria muito que as pessoas entendessem a diferença que existe entre liberdade de expressão e discurso de ódio. Você acha que é um desejo modesto? Na real é uma necessidade urgente que, atualmente, parece inatingível visto que temos que vivenciar fatos absurdos.

Como escutar o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) dizer em alto e bom som no plenário que “não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merece”. Ó céus, deputado, e alguém merece ser estuprado? Esse lamentável episódio só mostra como o machismo ainda impera em nossa sociedade, principalmente na nossa política.

É comum escutarmos o discurso torto de que “as mulheres já conquistaram os mesmos direitos que os homens, afinal entraram no mercado de trabalho e podem votar e etc e etc”, mas aí, quando acontece de um deputado em pleno discurso no plenário dizer tal atrocidade ainda sair impune, aí eu me pergunto: cadê essa tal igualdade? Cadê o respeito?

Há uma falsa ideia de simetria de direitos entre homens e mulheres. Recentemente, nas eleições desse ano tivemos três candidatas mulheres à presidência, mas apenas UMA delas teve peito pra defender abertamente as pautas feministas.

Além disso, houve uma abordagem bem diferente entre os candidatos. Sobre as três mulheres teceram-se comentários estritamente estéticos: “Nossa como ela é feia, nossa como ela é gorda, ai ela tá tão magrinha, que feio esse blazer hein, nossa passa uma chapinha nesse cabelo, nossa solta esse cabelo”, enquanto os candidatos homens foram consideravelmente poupados desse tipo de crítica.

Por que, antes de escutar essas mulheres, devemos dar ou não aprovação à sua aparência? Estou interessada nas ideias dessas mulheres e não no seu manequim!

A cereja do bolo para celebrar esse sexismo velado veio com a declaração do Bolsonaro. Ele ainda teve a pachorra de dizer que sua fala serviu pra “colocar uma mulher no lugar dela”. É essa a representação feminina que nós temos: a de que uma mulher no plenário está fora do seu “habbitat natural”, ela tá tão errada que “não merece nem ser estuprada”.

O Bolsonaro acha que ser estuprada por ele é algum tipo de prêmio para as mulheres bem comportadas? Fazer chacota com dor, com o trauma pelo qual passam 50 mil mulheres anualmente em nosso país é um insulto à dignidade de todas as brasileiras.

É deixar claro que a gente tem na Câmara, como representante, um ser desprezível que pensa igual aos estupradores. Combatemos a cultura do estupro, todos os dias, pra vir um boçal com essa declaração e incitar ainda mais casos de violência?

Ninguém merece ser estuprado e ninguém é obrigado a ter uma aberração dessas como congressista. É realmente fantástico alguém como o Bolsonaro ser reeleito, ainda mais como o deputado mais votado em todo o estado do Rio de Janeiro, é um verdadeiro fenômeno social de masoquismo.

E é por isso que ainda precisamos do feminismo, porque não somos obrigadas a ouvir atrocidades como essas. Precisamos do feminismo enquanto milhões de pessoas continuarem idolatrando esse homem que se acha “mártir da democracia contra a ditadura gayzista dos PTralhas”. Precisamos do feminismo para que os opressores não saiam impunes. Pela imediata punição desse deputado, assine a petição de cassação no Avaaz. #FORABOLSONARO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here