15 séries para ver no Netflix agora e esquecer o Temer. Por Pedro Zambarda

 

Eduardo Cunha renunciou à presidência da Câmara dos Deputados em Brasília nesta quinta-feira (7) e dizem que ele parece o personagem Frank Underwood de “House of Cards”. Mesmo com o noticiário político frenético, seriados no Netflix ajudam a explicar o atual momento — ou são puro e simples escapismo para quem quer dar um tempo da quadrilha do Temer.

Separamos 15 séries para você assistir agora.

House of Cards

Com quatro temporadas de 13 episódios, a série sobre o congressista Frank Underwood interpretado por Kevin Spacey dá um excelente exemplo de como os bastidores da política dos EUA são intrigantes. O político americano foi comparado diversas vezes com Cunha por suas articulações no Congresso e sua completa falta de escrúpulos, mas é em cargos executivos que ele dá seus piores golpes.

E mesmo criticando seu perfil psicopata, você torce para o protagonista se dar bem na série. House of Cards foi vencedor dos prêmos Emmy e Globo de Ouro. Sua produção foi realizada pela própria Netflix.

Narcos

Seriado com nova temporada prevista para 28 de agosto, a série do traficante colombiano Pablo Escobar, interpretado pelo brasileiro Wagner Moura, traz paralelos diretos com o narcotráfico brasileiro e com o escândalo Helicoca que envolveu Aécio Neves. A série atualmente tem uma temporada na Netflix de 10 episódios.

A direção fica nas mãos de José Padilha, o mesmo de Tropa de Elite que deve produzir em breve uma série baseada na Operação Lava Jato.

Marco Polo

No dia 30 de junho chegou uma nova temporada desta produção original da Netflix. Percorrendo a vida do explorador e mercador italiano Marco Polo, o seriado tem duas temporadas de 10 episódios cada.

A história atualmente passa pelo de Kublai Khan, imperador da Mongólia que dominou boa parte a Ásia. O enredo instiga o leitor a estudar a cultura oriental em combates sanguinários e, sim, políticos de um personagem que percorreu o mundo.

Orange is the New Black

A vida na cadeia da golpista Piper é plena de vida: relacionamentos, casos bissexuais e homicídios. Tudo baseado na biografia de uma americana que tomou o rumo errado.

A séria foi inspirado na livro de mesmo nome de Piper Kerman sobre sua temporada em cana. Menos romantizadas do que o seriado dirigido pela diretora Jenji Kohan, que começou trabalhando em Fresh Prince of Bel-Air de Will Smith nos anos 90, além de Friends.

Orange is the New Black tem quatro temporadas de 12 episódios e é uma produção original Netflix.

River

Esquizofrênico, o detetive John River tem que lidar com sua doença e com os casos que investiga. A série tem apenas seis capítulos e estreou em 2015 na BBC da Inglaterra, para chegar agora na Netflix.

O protagonista é interpretado pelo ator sueco Stellan Skarsgard, o mesmo que atuou em “Ninfomaníaca Partes 1 e 2” do diretor Lars Von Trier. No enredo, ele precisa investigar a morte de sua colega Jackie Stevenson, interpretada por Nicola Walker, enquanto outros crimes e fantasmas do passado o atormentam.

Vikings

Em três temporadas de 10 episódios, o seriado conta a história do viking Ragnar Lothbrok em sua missão de dominação dos nórdicos. O guerreiro é interpretado pelo ator australiano Travis Fimmel, o mesmo que faz o cavaleiro Anduin Lothar no filme Warcraft de Duncan Jones.

Disponível na Netflix, Vikings foi distribuída no History Channel e é dirigida por Michael Hirst, o mesmo do seriado de época The Tudors.

A série mostra os desdobramentos políticos de conflitos tribais, indo na direção de clima épico presente em outras ficções de guerra, como Game of Thrones.

The Tudors

Repleto de luxúria e violência, a série Tudors percorre a história da corte inglesa do século 16. Fala do reinado de Henrique VIII, pai da Igreja Anglicana e um dos responsáveis pelo rompimento da Inglaterra com o catolicismo.

O diretor é o mesmo de Vikings e trata a amante de Henrique, Ana Bolena, como uma protofeminista. Apesar de se inspirar em eventos reais, Tudors altera alguns acontecimentos históricos.

A princesa Margaret, por exemplo, é a representação de duas irmãs do rei na vida real. As idades também foram alteradas. A série tem quatro temporadas de 10 capítulos.

The Borgias

Tramas políticas também podem mergulhar na história nos Papas da Igreja Católica. Borgias tem três temporadas de 10 episódios e conta a história dos sacerdotes religiosos em Roma na época da Renascença entre os séculos 14 e 17.

O ator inglês Jeremy Irons protagoniza como o Papa Alexandre VI, que foi pai de muitos filhos de suas amantes. Distante do voto de castidade, o Santo Padre retratado pela série era visto como algo autoritário e libertido. Seu nepotismo colocou boa parte de seus parentes no poder do Vaticano.

Seu nome de batismo era Rodrigo, em inglês Roderic, em italiano Rodeiro Borgia — daí o nome do seriado.

Demolidor

A melhor adaptação do “Homem Sem Medo” da editora Marvel, Demolidor tem duas temporadas de 12 episódios. A série relembra super-heróis marcantes dos quadrinhos na sua segunda fase, incluindo o Justiceiro e Elektra, em pleno subúrbio nova-iorquino de Hell’s Kitchen.

Produzida pela Netflix, o seriado honra muito mais o legado do personagem cego que se torna combatente do crime do que um filme lançado em 2003 pela Fox e com Bem Affleck no papel principal. O Demolidor encarnado por Charlie Cox lembra muito mais um lutador de rua do subúrbio, tanto num uniforme improvisado com um lenço no rosto quanto na armadura oficial.

Jessica Jones

Outra heroína da Marvel, a história da investigadora Jessica tem apenas uma temporada de 12 capítulos. Decadente, bêbada e detive particular, a protagonista enfrenta o passado diante do vilão Kilgrave. O enredo original da Netflix vai fundo na questão do abuso feminino e mostra uma personagem realmente feminista.

O destaque principal vai para a interpretação de Krysten Ritter, que consegue contar a história principal muitas vezes sem muita fala. Há rumores que Jessica Jones vai fazer parte de uma nova formação dos Vingadores, ao lado do namorado Luke Cage, que terá também um seriado próprio na internet.

Bojack Horseman

Roteiro nonsense com um homem-cavalo ex-comediante e decadente? Esta é a viagem na maionese por trás do seriado Bojack Horseman. O cavalo protagonista é interpretado pelo canadense Will Arnett, enquanto seu roomate humano desempregado Todd Chavez é encarnado por Aaron Paul, estrela de Breaking Bad.

Repleto de referências à cultura pop, a série da Netflix tem duas temporadas de 12 episódios e personagens animalescos que lidam com drogas, questões existenciais e muito bom humor.

Sense 8

Oito personagens com poderes especiais compartilham sensações em um seriado de uma temporada com 12 episódios. Minorias como gays e trans são representadas nos capítulos. Sense 8 é repleto de lutas e momentos de tensão no conflito de sobrevivência de cada um dos protagonistas.

A história tem essa abrangência graças às diretoras trans Lana e Lilly Wachowski. Para quem não lembra, foram elas que cuidaram da trilogia Matrix no final dos anos 90 e no começo dos anos 2000.

American Horror Story

Série vencedora do prêmio Emmy e com episódios sobrenaturais, ela apresenta diferentes histórias com quatro temporadas com 12 capítulos. A ideia dos produtores Ryan Murphy e Brad Falchuk foi produzir um seriado com diferentes histórias com começo, meio e fim, alguns deles inspirados em fatos reais.

Diferentes atores já fizeram parte do elenco de terror, incluindo a popstar Lady Gaga.

Better Call Saul

Herdeiro direto de Breaking Bad, a série conta a história do infame advogado Saul Goodman. Trata-se de um prequel, ou seja, eventos que aconteceram seis anos antes do surgimento de Walter White e a fabricação de suas drogas.

Os fatos do universo de Breaking Bad pensado por Vince Gilligan são tratados de maneira superficial, para estabelecer a ligação. A produção é da própria Netflix e tem duas temporadas com 10 episódios cada.

Arrested Development

Com três temporadas lançadas entre 2003 e 2006 – e a última em 2013 na Netflix -, Arrested Development é uma série de comédia que vai na linha de Seinfeld. A história é de uma família disfuncional que vive desventuras de relacionamento e até brigas por conta de sexo.

O personagem central é Michael Bluth, interpretado pelo americano Jason Bateman, que tenta manter seus parentes unidos a despeito de todas as diferenças e egos. Seu filho mais novo, George Michael, só representa decepções nos planos do pai. Ele é interpretado por Michael Cera, que também atuou como o namorado do filme Juno (2007) e uma versão cinematográfica do herói dos quadrinhos Scott Pilgrim.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here